quarta-feira, junho 27, 2012

Falo do que é físico


Falo do que é físico porque não tenho outra realidade.
Falo do corpo
do mundo
do que ainda não sabemos e chamamos divino.

Falo do que é físico
porque tudo o que é real tem corpo e ocupa espaço.

Falo disso.
Falo do que existe
e tudo é tanto que nunca chega o tempo
nunca chega o fôlego.

Vejo até à asfixia
gente, coisas, o invisível.

Tudo me faz estar em permanente frêmito
sair para a rua de noite
e andar até cair de cansaço.
Pensando em tudo isso
extremamente sobreposto
como se uma grande dor não anulasse outra
como se fosse possível
pensar em mais de uma coisa de uma só vez
sentindo o simultâneo impossível
querendo abranger
a incontrolável voracidade dentro de tudo.

Corro por mim fora
como um grande atleta
campeão de barreiras e distâncias invencíveis
tentando vencer
mas tudo é enorme e intrincado
tudo em mim são olhos vigilantes
sem jamais pálpebra.

Mas tudo isso não chega.
Tudo é enorme
e morro tão depressa.

Ana Hatherly

2 comentários:

Anónimo disse...

Sim, morremos depressa demais, não nos é dado tempo suficiente para podermos desfrutar convenientemente de tudo o que o mundo nos oferece. Adorei esta passagem: «Falo do que existe / e tudo é tanto que nunca chega o tempo / nunca chega o fôlego.». Belo poema.

deep disse...

Infelizmente, assim é. :)