sábado, maio 19, 2012

Por todas as razões e mais uma

Por todas as razões e mais uma. Esta é a resposta que costumo dar-te quando me perguntas por que razão te amo. Porque nunca existe apenas uma razão para amar alguém. Porque não pode haver nem há só uma razão para te amar. 
Amo-te porque me fascinas e porque me libertas e porque fazes sentir-me bem. E porque me surpreendes e porque me sufocas e porque enches a minha alma de mar e o meu espírito de sol e o meu corpo de fadiga. E porque me confundes e porque me enfureces e porque me iluminas e porque me deslumbras. 
Amo-te porque quero amar-te e porque tenho necessidade de te amar e porque amar-te é uma aventura. Amo-te porque sim mas também porque não e, quem sabe, porque talvez. E por todas as razões que sei e pelas que não sei e por aquelas que nunca virei a conhecer. E porque te conheço e porque me conheço. E porque te adivinho. Estas são todas as razões. Mas há mais uma: porque não pode existir outra como tu. 

Joaquim Pessoa

2 comentários:

Anónimo disse...

Bonito texto. São tantas as razões para amarmos e, ao mesmo tempo, nada o justifica. Gostei muito desta: «E porque te adivinho.». Sem dúvida que sim.

Anónimo disse...

Lindo...li algures que quando não soubermos explicar porque gostamos de alguém, é porque amamos esse alguém...talvez seja assim inexplicável! ;))

Elsa A.