sábado, abril 14, 2012

Montalegre


em noite de sexta-feira 13...


Não sou muito dada a multidões e - talvez - menos ainda a superstições. Ainda assim, no fim da tarde de ontem, rumei a Montalegre, motivada pela tenaz vontade de quem me acompanhava. O mau tempo e a perspectiva de duas horas de viagem não foram suficientes para nos demover do propósito. Gente louca, dirão alguns. Afirma-lo-iam com mais convicção se nos vissem, no final, ensopados até aos ossos, pois impermeáveis, chapéus, guarda-chuvas e botas revelaram-se insuficientes para nos resguardar de uma chuva misericordiosa com a terra e inclemente com os homens, que não se ausentou nem um só minuto e que foi particularmente abundante à meia-noite, quando, junto ao castelo, nos esforçávamos por ver o padre Fontes, a quem ouvi apenas a voz. De resto, muitos guarda-chuvas, alguma animação de rua e muitas pessoas (em grande parte da vizinha Galiza), apostadas em contrariar, com convívio e a boa disposição, uma noite de verdadeiro Inverno transmontano. 
Resta-me acrescentar que nenhum de nós adoeceu. Talvez nos tenha valido a queimada do padre Fontes!

4 comentários:

Nilson Barcelli disse...

Foi pena o mau tempo.
Mas quem vai por gosto não se cansa...
Querida amiga, tem um bom fim de semana.
Beijos.

deep disse...

Sem dúvida, Nilson. Em Julho há mais, quem sabe, sem chuva...
Um óptimo domingo para ti.
Beijinhos

Anónimo disse...

Bruxas e esconjuros..uhuh!!Da próxima vez que fores ao bruxo vou contigo...acho que me lançaram um mau olhado!!!!bj, elsa

deep disse...

Elsa, bruxos não é comigo! Agora percebo o teu comentário. Talvez seja melhor mandar para a fogueira os responsáveis pelas "bruxarias"!! Bjs