sexta-feira, março 09, 2012

Frutos


Quando a amada oferece
o seu corpo, ela sabe
que dos frutos apenas
se colhe o sabor.
É então
que os dedos
separam as películas,
que a lâmina desce e a água
e o fogo se misturam.
E é então que a vida
e a morte convivem
sob o mesmo tecto.


Albano Martins, Escrito a vermelho

4 comentários:

Nilson Barcelli disse...

Excelente poema.
Comia algumas amoras agora mesmo...
Querida amiga, tem um bom domingo.
Beijos.

deep disse...

:)
Obrigada, Nilson. Uma boa semana para ti. Beijos

R. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
R. disse...

Excelente poema e fotografia absolutamente condizente! (De fazer crescer água na boca :)).