segunda-feira, março 12, 2012

Da mentira e da verdade

«Qualquer teólogo assegurará ser a mentira execrável por conduzir à soberba e à violência. E que, desse modo, toda a mentira é malévola, e somente a verdade sempre benévola.
Contudo, neste mundo, em distintas e bastas ocasiões, muitas virtudes se encontram tanto na verdade quanto na mentira. E tanto na verdade como na mentira se vislumbram, em bastas e distintas ocasiões, muitas máculas e sofrimentos. Olhai o mundo, se duvidais! Mata-se por se dizer a verdade, se mata servindo-se da mentira, morre-se por se defender a verdade e se morre ao abraçar-se a mentira. Em nome da verdade, por mor da mentira, pelos dois motivos, se oprime e se tira a vida, se perde a vida e se é oprimido.
A verdade hoje aceite pode ter sido a mentira de ontem e transformar-se no engano de amanhã. Por isso, o mundo dos homens é uma constante guerra para impor a verdade, aniquilando a mentira, por receio de esta lhe usurpar o lugar. E é nestas transmutações que muitos males sucedem, não necessariamente apenas aos reputados mentirosos.»

Pedro Almeida Vieira, A mão esquerda de Deus

3 comentários:

Mar Arável disse...

Tudo é relativo

R. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
R. disse...

Absolutamente certeiro. A evidência da necessidade de uma profunda, e raramente concretizada, necessidade de ponderação a anteceder a acção. Imperativo dificilmente alcançável quando uns pretendem impor-se a outros...

Excelente mote reflexivo, cara deep.

Um abraço e continuação de boa semana.