sábado, janeiro 07, 2012

Tudo o que faço...

3 comentários:

Isabel José António disse...

Olá Deep,

Creio que em tempos já nos visitámos, mas as voltas que a nossa vida tem dado (temos a mãe da Isabel acamada há mais de dois anos o que nos absorve muita energia e tempo) não têm permitido que sejamos assíduos.

Mas eis que a reencontramos com esta poema lindíssimo e postado sobre uma bela imagm.

Parabéns.

Que o ano que agora é novo
Possa trazer-lhe imaginação
Para querer fazer do povo
A sementeira no seu coração

Semeie tudo o que entender
Desde flores, esperança e fé
Compaixão, cooperação, o SER
Que faz de nós humanos, não é?

Dê apenas um tempo e espere
Há-se vir o tempo da colheita
Limpe o celeiro, não desespere
Quem fizer a cama nela se deita

Agarre a vida com ambas as mãos
Dê a si mesma alguma tolerância
E guarde também alguns grãos
Pois na vida há muita errância

E dê de si! O que mais tiver
Amor, entrega e toda a energia
Na vida é mais importante o SER
Que lhe trará imensa alegria


Um ano de 2012 cheio de saúde e paz!

Um abraço

José António

Nilson Barcelli disse...

Fernando Pessoa tinha a noção do que poderia fazer e não fazia...
Querida amiga, tem um bom resto de domingo e uma boa semana.
Beijo.

deep disse...

Obrigada, José António, pela visita e pelas palavras. Sim, tenho noção de já nos termos encontrado por aqui.
Faço votos que tudo corra melhor para vocês este ano.

Um abraço.

Nilson, sem dúvida.
Obrigada por estares sempre presente.
Boa semana.

Beijinhos