sábado, julho 30, 2011

Mar


(V. F. do Campo, S. Miguel, Julho/2011)

Mar sonoro, mar sem fundo, mar sem fim.
A tua beleza aumenta quando estamos sós
E tão fundo intimamente a tua voz
Segue o mais secreto bailar do meu sonho
Que momentos há em que eu suponho
Seres um milagre criado só pra mim.


Sophia de M. B. Andresen

3 comentários:

N. Barcelli disse...

Belíssima escolha.
Pela qualidade das palavras e pela época balnear que atravessamos.
Beijo, querida amiga.

deep disse...

Obrigada, Nilson.

Bom domingo. Beijinhos

anamaria disse...

Lindo...