sexta-feira, junho 03, 2011

As cidades cúmplices


As cidades são a minha fuga, o meu refúgio,
o meu lugar de não ter nome, de não ter casa.
Fujo para as cidades para me perder de mim,
para só me encontrar nos livros que trago
dos esconderijos mais secretos das cidades.
As cidades são as minhas cúmplices. Elas sabem-no.
(...)
Deixo nelas, como penhor da alma, o fio de uma saudade
que o tempo se encarrega de cortar
no ponto em que a ausência sabe a mágoa.


J. Jorge Letria, Produto Interno Lírico

1 comentário:

Anónimo disse...

estava mesmo a apetecer perder-me numa cidade... mas das muito grandes mesmo...

bjokas mtas

maria3