segunda-feira, junho 21, 2010

Biblioburro



Uma óptima lição para muitos meninos que, tendo tudo, não dão valor a nada.

8 comentários:

Nilson Barcelli disse...

3.480 livros... já é muito livro...!!!

É uma iniciativa que, se fosse alargada, teria um impacto enorme.

Fez-me lembrar a carrinha da Gulbenkian... ainda que a estratégia seja ligeiramente diferente (acho que os miudos não ficavam com os livros emprestados).
O meu gosto da leitura começou com as ditas carrinhas...

Boa semana, beijos.

deep disse...

Sem dúvida, Nilson, 3.480 livros é um número bem simpático!

Embora não tenha sido uma frequentadora, lembro-me perfeitamente das carrinhas cinzentas (??) da Gulbenkian. Eu tive a sorte de ter uma biblioteca a 2 minutos de casa, de que era frequentadora assídua.

Uma boa semana também para ti. Beijos

R. disse...

Maravilhoso, deep. Um exemplo extraordinário que valoriza a acção em si mesma e destaca a multiplicidade de realidades num mundo não tão "global" quanto se jujga. Um abraço e, se me permites, aludirei ao teu "espaço" para homenagear esta iniciativa.
Obrigada!

Ana disse...

Com biblioteca acessivel, mesmo antes de saber ler, nerm conseguiamos ver a importância da biblioteca itinerante. E já lá vão trinta e tal anos e ver que ainda hoje se promove o livro e a leitura desta forma...Uma alma grandiosa!! :)

R. disse...

PS: Aqui fica a justa homenagem, deep.
Abraço!
(http://bibliofiliaentreparentesis.blogspot.com/2010/06/n-outros-parentesis.html)

ana disse...

Venho de Bibliofilia sem parêntesis e estou maravilhada com o que encontrei.
A Biblioburro tocou-me. Este homem é digno de ser conhecido em todo o mundo.

Ainda há coisas bonitas!

Também conheci as carrinhas da Gulbenkian mas felizmente onde vivi tinha uma biblioteca, por isso, dou valor a esta biblioteca errante.
Devo agradecer a R e a si por este momento.
Ana

Isabel disse...

Só mesmo a paixão pelos livros leva um ser humano a tomar esta atitude, uma atitude de louvar que permite aos mais isolados e mais carentes terem acesso aos livros, á cultura. Um grande bem haja a este SENHOR!

Virgínia do Carmo disse...

Obrigada pelo testemunho, Deep... enquanto mãe tento passar esta mensagem aos meus filhos, ensinando-lhes os valores da gratidão e da partilha...

Outro beijinho