quinta-feira, junho 17, 2010

Adeus



Já foi postado há uns tempos, mas é tão bonito que não resisto a colocá-lo aqui de novo...

7 comentários:

clorinda disse...

Grata pela partilha- É lindo!
Abraço

R. disse...

É muito bonito, sim. E vejo que por aqui o Eugénio de Andrade também é um dos dilectos. (É imenso o Eugénio de Andrade). Quando vi o título do post assustei-me: pensei tratar-se de uma despedida. Ainda bem que assim não é :) Tinha um amigo que dizia sempre: "adeus, nunca! Até logo!"
:)

Anónimo disse...

Simplesmente espectacular.
Juntar beleza e tristeza, parece contraditório, mas foi o que senti.
Só tu para me fazeres ver coisas diferentes.
Continua....
Fica bem
Elsa

deep disse...

Clorinda, partilhar é um prazer e tê-la por cá de novo outro! :)

R., Eugénio é há muitos anos um dos eleitos. Quanto ao adeus, por enquanto vou ficando, usufruindo da vossa presença e com a simpatia das vossas palavras cúmplices. :)

Elsa, partilhar é isso mesmo: levar aos outros aquilo que é para nós sinónimo de beleza e receber com a mesma generosidade a beleza que os outros nos oferecem. Fica bem. Um xi :)

Anónimo disse...

Saudade....
Ouço este poema como se fosse pela 1ª vez.... mas hoje a poesia tocou-me como se de uma história verdadeira se tratasse.......

deste poema para a frente, não sei, mas a triteza de o ter sentido fica...

Obrigado

maria3

deep disse...

maria3, eu é que fico grata por teres comungado comigo desta beleza. :)

Um xi grande.

Anónimo disse...

Por muito que doa, faz parte do meu luto...

é sempre triste, mas se o lesse todos os dias não me surpreendia como acontece sempre que o ouço...

Bjokas

maria3