quarta-feira, abril 21, 2010

Identidade

Preciso ser um outro
 para ser eu mesmo

Sou grão de rocha
Sou o vento que a desgasta

Sou pólen sem insecto

Sou areia sustentando
o sexo das árvores

Existo onde me desconheço
aguardando pelo meu passado
ansiando a esperança do futuro

No mundo que combato morro
no mundo por que luto nasço

Mia Couto, Raiz de Orvalho e Outros Poemas

3 comentários:

CCF disse...

Muito bonito!
~CC~

wandolas disse...

Belo poema!
Bjinhos

deep disse...

CC e wandolas, de facto!...

Bom domingo para ambas. :)

Bjs