quarta-feira, fevereiro 03, 2010

É tempo delas!

O pão - de aproximadamente 2kgs - é partido, "de cabo a rabo", em fatias finas. De seguida, é amolecido com o caldo que resultou da cozedura das carnes e regado com azeite "rijado" (a ferver). Ao preparado anterior juntam-se as carnes (de aves e de porco), desfiadas e partidas em pedaços muito pequenos.
Tempera-se, seguidamente, a massa com pimentão. Chega, então, o momento de, com a ajuda de uma enchedeira (uma espécie de funil), encher tripas (de vaca ou sintéticas), previamente lavadas com aguardente e atadas numa das pontas com fio de algodão.
Depois de lavadas, as alheiras são colocadas em varas (estas suspensas no tecto), próximas da lareira, para que o calor e o fumo as vão secando (o tempo de geada é o mais favorável).
Só volvidos uns dias podem ser consumidas, grelhadas na lareira - nem se lembrem de as comer fritas com ovo! Acompanhadas de grelos e de batatas cozidas (ou só com pão) são uma delícia!

11 comentários:

ana maria disse...

E só as de Mirandela são tão boas!

Cavaleiro Andante disse...

Cara Deep: um :) multiplicado pelo infinito... Deve perceber porque me limito à multiplicação... E, cara Ana Maria (arriscando-me a meter a foice em seara "alheira"): só as de Mirandela são tão boas??? Ou o poder do marketing...

eMe-a-eMe disse...

hoje tive sorte, leio este post acabadinha de almoçar : )
mas reconheço os cheiros, as cores, as conversas à volta da preparação das mesmas, consigo ver a vara dentro da lareira carregadinha e a mesa do lanche a aguardar... e mato um bocadinho as saudades.
obrigada pelas fotos, pelo texto.

deep disse...

Ana Maria, lamento despontar-te, mas, como referiu o Cavaleiro Andante, a fama das de Mirandela não passa de marketing. As da minha mãe e de muitas mães trasmontanas é que são boas! :)

Cavaleiro Andante, compreendo essa multiplicação de sorrisos! Obgd! :)

eMe-a-eMe,o dia de fazer alheiras, por aqui, como o dia da matança, supõe um conjunto de rituais. :)

Um bom fim-de-semana para todos.

rute disse...

Deep, obrigada por partilhares estes rituais com esta "menina da cidade" que já viveu no meio da serra (não muito longe de ti, por sinal!) mas para quem todas estas tradições são quase como um imaginário.

beijinhos

Sandra Rocha disse...

Ai que maldade :D
Vamos comer uma para o lance? :D ehehhe

Beijinhos.

ana maria disse...

Deep e Cavaleiro Andante: desculpem a ignorância de uma bairradina!! As que conheço, pelo marketing, talvez, são de Mirandela e gosto...mas imagino que as que vós tendes a ventura sejam bem melhores. Nada como o que se faz "caseiramente"!

JvT disse...

É preciso ser muito má... Tenho que evitar vir por aqui... Isso não se faz... Estamos longe e deparamos com isto! Só falta o cheiro...

Desta vez estás perdoada... Mas, se for aí em cima no Carnaval quero provar uma!

Abraço
João

Ana disse...

É mesmo maldade :((((( podiam ao menos tentar a experiência do congelamento!!!!Há já tanto tempo que não tenho o prazer desses paladares... :(
reforço: É MUITA MALDADE!!

BOA DEGUSTAÇÃO

Ana disse...

nota: falo das sopas :)

deep disse...

Não te preocupes que não hão-de faltar exemplares destas iguarias para provares, quando voltares. :))