segunda-feira, fevereiro 22, 2010

Assitimos às desgraças alheias pela comunicação social e, por muito que lamentemos as perdas de vidas humanas e os estragos, não conseguimos senti-las nossas. Se calhar até contribuímos para ajudar, de forma mais comedida ou mais generosa. Mas acreditamo-nos sempre imunes às tragédias de grande dimensão. Talvez por isso, nos pareçam excessivas e vãs - e até hipócritas - quaisquer palavras. Talvez por isso, optemos pelo (quase) silêncio.

2 comentários:

tsiwari disse...

Essa imunidade não será já consequência da banalização das imagens?


...



*

deep disse...

tsiwari, choca-me a forma como a comunicação social aproveita a desgraça para fazer dos noticiários verdadeiros "festivais".

:)***