sexta-feira, dezembro 18, 2009

Tenho saudades das noites em que, esquecidos das horas, nos perdíamos em palavras, em risos, e confidências; do tempo em que os abraços eram tão fáceis como as lágrimas; dos momentos em que todo o rosto era um sorriso; dos dias em que umas escassas moedas não nos roubavam a felicidade; do tempo em que confiávamos; desse tempo em que tínhamos a arrogância dos que acreditam já saber tudo.

Não sei dizer quando tudo mudou, quando recolhemos os braços e começámos a encolher os ombros, quando calámos as palavras e silenciámos alma e coração, para nos recolhermos num mutismo que, suspeito, não tem retorno.

9 comentários:

tsiwari disse...

Se mudou uma vez, por que razão não há-de mudar uma outra?

;)***

Cavaleiro Andante disse...

«Podem roubar-me a comida, mas jamais me roubarão a fome»... As "letras" não são um exemplo de mutismo. Sem "intrometências"...

Cavaleiro Andante disse...

Ah! Para compensar a ausência de risos ou simples sorrisos, há uma receita mágica: colocar acetona na aletria e caril na escova de dentes... :))))) Não sei onde já li algo semelhante...

deep disse...

Quem sabe, tsiwari... talvez seja só uma fase! ;)***

Cavaleiro Andante, o Letras talvez seja mais um sinal desse mutismo...
Com o cansaço dos últimos tempos, ainda hei-de dar comigo a comer o guardanapo e a limpar-me ao bife! :)

Obrigada, rapazes, pelo vosso apoio! Bom fim-de-semana para ambos.

CCF disse...

Com o tempo esse silêncio chega a todas as relações, é preciso lutar muito contra ele, nao nos conformarmos. E as tuas palavras são, no seu lamento, já um sinal de incoformismo.
Bjs do Sul
~CC~

Virgínia do Carmo disse...

Como eu compreendo este desencanto... chega a doer...

Beijinho terno e um Santo Natal!

deep disse...

CCF, os afazeres quotidianos servem sempre de pretexto ("mea culpa") para não estarmos com os outros e para deixarmos que o silêncio se instale. Quando damos conta, faltam as palavras, mesmo entre amigos. Talvez seja só uma fase céptica. Obrigada pelas palavras! :)

Virgínia, por vezes (talvez quando estamos mais cansados), chega a doer...

Beijinhos e votos de um Feliz Natal!

Um óptimo domingo para ambas. :)

Anónimo disse...

É verdade que já não venho aqui há muito tempo.... A imagem inicial está muito bonita, no entanto vejo que estás triste. Também me revejo nestas tuas palavras. Talvez seja a culpa do Natal, que nos leva a pensar mais nos outros e reparamos que não lhes temos dado a devida atenção...Não te sintas muito culpada, eu entendo perfeitamente, pois passo pelo mesmo. Fica o meu abraço terno e compreensivo. Até breve.
Elsa

ana maria disse...

Será do frio?!!

No entanto, as belas palavras sobre a nostalgia aparente são um produto encantador...Lá está, todas as coisas têm um lado bom.

Melhores dias!