quinta-feira, novembro 05, 2009

Fuga

Vento que passas, leva-me contigo
Sou poeira também, folha de outono.
Rês tresmalhada que não quer abrigo
No calor do redil de nenhum dono.

Leva-me, e livre deixa-me cair
No deserto de todas as lembranças,
Onde eu possa dormir 
Como no limbo dormem as crianças.



Miguel Torga, Diário, vol. V, 1949

Sem comentários: