quarta-feira, maio 27, 2009

ainda sobre a amizade

- É amiga de todos os seus colegas?
A pergunta, vinda aparentemente do nada, apanhou-me de surpresa.
- Não, claro que não.
- Por que não? Não fala com todos?
- Sim, falo com todos, mas só sou amiga de alguns. Há pessoas que têm tudo para poderem ser amigas, contudo, por qualquer razão não o são. A amizade, como o amor, não tem explicação, constrói-se, requer tempo. Por que perguntas isso?
- É que, quando vejo os professores nos corredores da escola, parecem tão frios. (Em relação aos colegas, quis ele dizer.)
Não tive tempo de lhe explicar que as relações são mais complexas e têm mais matizes do que julgamos aos 16/ 17 anos e que, por vezes, aquilo que tomamos por amizade não é mais do que admiração, cordialidade, companheirismo de circunstância ou pura e simplesmente um entusiasmo que desfalece à primeira adversidade. Não lhe disse que o tempo que devemos dedicar à construção de uma amizade é sobretudo interior. Também não pude contar-lhe que, quando tinha a idade dele, bastava uma longa conversa numa tarde de praia para ter a ilusão de que tinha conquistado mais um amigo.
Estou para aqui a pensar que talvez não adiante nada que eu lhe fale de tudo isto, porque só o tempo poderá convencê-lo.

5 comentários:

eMe-a-eMe disse...

acho que fizeste bem.
infelizmente a vida vai dar-lhe essa certeza mas a seu tempo. e já vai doer bastante, não é?

Anónimo disse...

Como costumo dizer, a vida é feita de etapas, a etapa a que te referes chegará com certeza,assim como tantas outras. É com elas que crescerá e aprenderá a viver a vida.
Até breve.
Sapinho

Fabulosa disse...

falar com todos realmente é um conceito de amizade muito abrangente. mas também não devemos impor a nossa visão adulta do mundo em certas coisas, porque algumas são para cada um descobrir por si nessa viagem que é a vida...

Infame da Vileza disse...

Acredito, tal como tu, que a amizade é um fenómeno semelhante aos geológicos, lento, muito lento.
Essa aprendizagem vem com o amadurecimento, não tem nada haver com a cronologia. Há adultos que ainda fazem amigos numa sala de professores depois de meia dúzia de palavras partilhadas. A questão levantada é pertinente e deveria ser desbravada por ti. Esse adolescente mostra interesse pelo assunto e porque não mostrares-lhe a tua perspectiva madura da coisa, claro que sem entrares em discursos de convencimento.

Carlota disse...

Há coisas que, de facto, só se apreendem mesmo com o passar dos anos. Ele há-de lá chegar.