terça-feira, março 31, 2009

Trindade Coelho

(Estátua do autor, em Mogadouro - fotografia da net)
Trindade Coelho, escritor transmontano, nascido em Mogadouro (1861), será o rosto do próximo bilhete de lotaria.
Porque vivi muito tempo a dois passos da casa onde ele nasceu e porque da minha janela, como da dele, se via a torre da igreja do Convento de S. Francisco, cedo despertou em mim o gosto pelo autor.
O primeiro contacto com as palavras do autor veio-me pela boca de uma amiga mais velha, que nos lia, aos que ainda não sabíamos ler, excertos da autobiografia do autor, inserta no volume de contos Os Meus Amores. Só na adolescência, li esse e outros títulos. Deliciei-me com O Senhor Sete, que constitui uma recolha de exemplares da cultura popular (adivinhas, provérbios, lengalengas, superstições), alguns dos quais relacionados com a simbologia do número sete.
Trindade Coelho foi considerado, por alguns homens de letras do seu tempo (e por alguns actuais), um escritor menor, sobretudo pela ruralidade que perpassa nas suas obras (temas, personagens e linguagem), talvez por isso as comemorações dos cem anos da sua morte, em 2008, não tenham tido o eco merecido.

2 comentários:

Ana disse...

O senhor sete...o livro que ganhei na primária com um desenho...por acaso ñ anda por aí o sºsete?
bjoca

deep disse...

Não. Já não o vejo há muito tempo... Mas talveznão esteja perdido.

Beijocas