domingo, março 15, 2009

devaneios

Sofres quando as dores te tolhem os movimentos, quando as tarefas mais rotineiras se agigantam e ganham os contornos de gestos hercúleos. Revoltas-te com o desinteresse daqueles a quem pagas generosamente para te responderem com evasivas de incompetência, com um sistema que não te concede o direito de estares doente e que, se o fizeres, te obriga a repor as horas “perdidas”. Mas sofres mais ainda quando aqueles de quem esperavas compreensão te julgam como alguém mimado e caprichoso que reclama atenção e se escusa ao trabalho. Mais do que as palavras, magoam os silêncios, os olhares de reprovação. Contra esses não há argumentos, porque as dores físicas e as da alma só são evidentes para quem já as experimentou.

3 comentários:

Infame da Vileza disse...

Tanta gente que tem como epicentro das suas vidas o umbigo e só elas é que têm alegrias, os outros têm histerismos, e só elas é que têm dores, os outros são piegas!
Bjs

vaandando disse...

Oh , como o vil infante tem razão !
Abração , boa-semana!

________ JRMarto

Anónimo disse...

como te entendo.
és uma pessoa fantastica, apenas precisas acreditar nisso. F. bj