terça-feira, março 17, 2009

da janela aberta

chega-me o cheiro a fumo de giesta.
De repente, evoco as Páscoas de outros tempos, os dias inteiros no forno a fazer folares, bolos económicos e calços, e esse cheiro salutar do fumo das giestas que, durante a Semana Santa, se espalhava por toda a aldeia.

7 comentários:

José Miguel de Oliveira disse...

não sou transmontano, mas um minhoto desterrado no alentejo onde só a poesia me quer. Gostei do cheiro a giesta...

Infame da Vileza disse...

Considero-me disfuncional por não ter destas memórias invejáveis!
E venha um ou dois económicos feitos por ti.
Bjs

CCF disse...

Quase que chegou aqui o cheiro...adoro folares!
Em Abril vou aí sentir ao vivo o cheiro.
Abraço
~CC~

Luana Ferraz disse...

Evocai o amor...ele sempre, antes de tudo.

Beijos

Fabulosa disse...

agora a malta compra os folares "caseiros" (tal e qual!) nas pastelarias da cidade.... =)

Carmo disse...

Gostei do forno a fazer folares.
Sou nómada, durante algum tempo vivi eno distrito de Viana do Catelo, lá há a tradição de beijar a cruz, coisa que eu desconhecia porque sou alentejana. de repente levou-me aos preparativos para a bençaõ da cruz

Obg/Carmo

Anónimo disse...

no forno que tu viste, faço todos os anos os folares doces e de carne, dedicamos um dia para cada um deles para os podermos comer quentinhos, já les-te as minhas memorias da apanha da azeitona?
f. bj