sexta-feira, fevereiro 13, 2009

um sinal

Era já noite mas eu corria corria cegamente pela página fora. Ou era talvez a rua. Corria para um encontro não sei ao certo de quê nem de quem. Um nome um rosto um corpo nu deitado no abismo. Mas era uma estrela que me guiava. Era um sismo era um vento. Ou talvez a palavra. Ou talvez a palavra. E por isso eu corria loucamente pela noite dentro. Manuel Alegre, Livro do Português Errante

1 comentário:

Infame da Vileza disse...

A palavra faz-me correr loucamente!
Bjs