quarta-feira, fevereiro 25, 2009

atitudes

Por vezes, acontece-nos aproximarmo-nos de duas pessoas que conversam e, por percebermos que o assunto não é pessoal, entramos também na conversa. Contudo, a certa altura, apercebemo-nos que não há reacção. A nossa boa vontade faz-nos acreditar que os dois interlocutores não reagem por distracção, por isso tentamos de novo. Como continuamos invisíveis, damo-nos então conta de que o que julgávamos distracção não é mais do que desprezo ( pela nossa pessoa e pela nossa opinião) ou a arrogância dos que se julgam superiores. Se formos ingénuos, persistimos; se, pelo contrário, ganharmos vergonha na cara e amor-próprio, saímos pé ante pé.

Sem comentários: