quinta-feira, outubro 16, 2008

autobiografia em cinco pequenos capítulos

I Ando numa rua. Há um grande buraco no passeio. Caio no buraco. Sinto-me perdido... impotente. A culpa não é minha. Uma eternidade até que consiga sair do buraco. II Caminho na mesma rua. Há um grande buraco no passeio. Faço de conta que não o vejo. Volto a cair no buraco. Nem quero acreditar que foi no mesmo sítio. Mas a culpa não é minha. Vai ser preciso ainda muito tempo para sair do buraco. III Ando na mesma rua. Há um grande buraco no passeio. Vejo-o muito bem. Mesmo assim, caio... Tornou-se um hábito! Sei onde estou. A culpa é minha. Saio do buraco imediatamente.
IV Ando na mesma rua. Há um grande buraco. Contorno-o. V Sigo por outra rua.
Texto de Portia Nelson
Fotos da Ana

4 comentários:

Infame da Vileza disse...

Estou na fase III!
O Milan Kundera diz que vivemos no planeta da inexperiência e eu subscrevo. Hoje apercebo-me que do ontem apreendi muito pouco.
Bjs

eMe-a-eMe disse...

lindo.
como compreendo estas palavras.

lembrei-me de uma frase de Fernando Pessoa: « Nunca ninguém se perdeu. Tudo é verdade e caminho.»

espera, lembrei-me também de Vinicius de Moraes: « a vida só se dá para quem se deu, para quem amou, para quem chorou, para quem sofreu.»

bjs.

CCF disse...

Mudar o rumo é preciso de quando em quando. Bonita a composição com as imagens! Bjs
~CC~

vaandando disse...

Parece que só interessa o desvio !...
Gostei muito_____________

JRMarto____________