quarta-feira, setembro 03, 2008

'bora lá conhecer a prima!

Até há dois anos, desconhecia a existência dela. Apareceu em Trás-os-Montes, por altura das vindimas, em busca das origens. Ouvira, durante toda a vida, falar da terra dos avós e supôs que ainda por cá estivesse quem lhe falasse deles. Algumas perguntas numa vila pequena foram suficientes para descobrir que, numa aldeia próxima, moravam inúmeros primos. Apresentou-se. Foi afável e espontânea, por isso a receberam de braços abertos. Recolheu outros contactos e prometeu voltar. Alguns dias depois, já ela regressara ao país onde vive, recebi um telefonema. Da empatia imediata, resultaram dois anos de convívio assíduo, por telefone e por email. Trocámos fotografias e presentes. Amanhã vamos, finalmente, encontrar-nos. Embora sinta que já a conheço há muito tempo, não deixo de sentir alguma ansiedade e apreensão. Comunicar por telefone ou por email pode revelar muito de nós, mas há pequenas coisas que podem ser determinantes para o sucesso de uma amizade que só se desvendam quando estamos frente a frente, olhos nos olhos e em pequenos gestos que dão ao outro a percepção do nosso carácter e que confirmam – ou não – a empatia que julgávamos existir. Descobrir que uma pessoa não corresponde à personalidade que dela construí à distância não é suficiente para me afastar ou para excluir a possibilidade de uma amizade, pois estou sempre disposta a valorizar as qualidades e a esquecer o que poderia decepcionar-me. Só ainda não aprendi a lidar pacificamente com a desilusão e com o afastamento de quem me conhece.

7 comentários:

wandolas disse...

Vai ser um dia proveitoso com certeza.
... E quem se afastou n faz ideia da boa amizade que perdeu.
wandolas

pinky disse...

o sexto sentido não engana e o teu parece apurado, relaxa e enjoy it! bjs que tudo corra bem e te divirtas muito nessa reunião familiar

Blimunda disse...

De certeza que vais confirmar as afinidades que já existem e descobrir outras!bjitos

Nilson Barcelli disse...

Se sentiram empatia por escrito, ela será a mesma ou até maior depois de se conhecerem pessoalmente.

Beijinhos.

JvT disse...

Olá,

Também eu descobri um primo, lá para os lados de Oviedo, não há muitos anos...

Também ele me visitou, primeiro aí bem perto dessas aldeias de que falas e depois aqui mais para Sul. Como não sou de muita escrita, e penso que ele também não, temos comunicado pouco... Mas, mesmo em silêncio, interrompido por um ou dois telefonemas anuais e o envio de algumas fotos, gostei muito de juntar uma cara a alguém de quem sempre tinha ouvido falar.

Bjs e boa entrada no ano lectivo
João

vaandando disse...

O encontro com a prima só pode ser uma maravilha, ambas á espera desse dia , provavelmente há muito tempo.. Boa conversada, assim mesmo sem tirar nem pôr!
um abraço às primas
Jrmarto

Anónimo disse...

Não te preocupes, vais ver que quando te conhecer ao vivo e a cores só pode ficar satisfeita, porque tu és uma 'keeper' (e são muitissimo raras). Se ela não vir isso então o problema é dela que não consegue apreciar tudo o que tu és...
Não te preocupes, vai correr tudo bem...:)

Bjis Mtis

rubia