domingo, agosto 31, 2008

laços de ternura

(Vladimir Vyatkin)

Numa breve visita à galeria de vencedores do World Press Photo, o meu coração foi mais rápido do que a minha cabeça e adoptou esta fotografia, que representa o coreógrafo russo Igor Moiseyev (1906-2007) e a esposa no dia em que ele completou 101 anos.

Talvez me tenha prendido a imensa ternura que um e outro emprestam aos gestos e ao olhar... talvez me tenha supreendido a possibilidade de haver amores "eternos"...

5 comentários:

vaandando disse...

E tão bem foi , e tão bem , se é eterno enquanto dura , há-de durar nessa eternidade!
O meu apreço pela pressa do coração , pelo seu avanço irremediável !
Cordialmente
JRMARTO

Blimunda disse...

São eternos nos momentos em que existem...também ao vivermos um amor nunca perspectivamos o seu fim...escolha certeira num mundo cada vez mais fugaz!
bjitos

Kokas disse...

Será que existe alguma coisa eterna para além da morte? A avaliar por este testemunho... parece que sim!

Aquele beijinho!

Astor disse...

palavras para quê?

:)

Anónimo disse...

O coração fez uma excelente escolha... tb nós comuns aspiramos a alguma 'eternidade'... no amor... a vida passa fugaz...

Bjis Mtis

rubia