quarta-feira, maio 21, 2008

Suponho que a maioria daqueles, com que me cruzo no acaso das ruas, traz consigo (...) uma igual projecção para a guerra inútil do exército sem pendões. E todos terão, como eu, a grande derrota vil, entre os limos e os juncos, sem luar sobre as margens (...). Assim cada um se sonha, um momento, o chefe do exército de cuja cauda fugiu. Uns são heróis e prostram cinco homens a uma esquina de ontem. Outros são sedutores e até as mulheres inexistentes lhes não ousaram resistir. E todos, como enguias num alguidar, se enrolam entre eles e se cruzam e nem saem dos alguidares. Às vezes falam deles os jornais, mas a fama nunca. Esses são os felizes porque lhes é dado o sonho da estupidez. (F. Pessoa- Bernardo Soares, O Livro do Desassossego)

1 comentário:

aflores disse...

E não desistem de "sonhar".