sexta-feira, maio 02, 2008

complexo de avestruz?

Garanto-vos: nunca desejei ser mais velha, nem ter dezoito anos - para poder sair à noite, para ser independente, para ter a carta de condução... Só me lembro de invejar os mais novos. Talvez por isso me tenha identificado tanto com Holden (a ponto de ficar de certa forma angustiada por não poder conhecê-lo), o protagonista de The Catcher in the Rye, de J. D. Salinger, que li, pela primeira vez, numas férias da Páscoa, quando estava quase a fazer dezoito anos. Holden fascinou-me provavelmente por ser rebelde, frágil e inconformado e por se recusar veementemente a crescer, a ponto de adoecer.
Há dias em que sentimos vontade de sermos mais novos. Para não termos responsabilidades. Para não sermos confrontados com os nossos erros. Para não respondermos pelos erros dos outros. Para não termos que dar a mão à palmatória.
Há dias em que sentimos uma irresístível vontade de tirarmos umas férias antes de tempo, de ficarmos doentes, de enlouquecermos... Os sábios não nos perdoariam a imaturidade, a inconsequência, a irresponsabilidade, menos ainda a insanidade - esta implica sempre a complacência que dá trabalho e um sábio não se dá a esse trabalho. For God's sake!

4 comentários:

ana maria disse...

Ai, se te compreendo...Era tão bom ficar na cama com uma simples febrita, a chá e mimos da mãe...não ir à escola... Agora, mesmo a arder, com dores de cabeça, lá vou eu para a escola...

calminha disse...

mas kem disse k não es sábia, por isso é k nao te perdoas ...mas olha errar faz parte da vida e ser imaturo tb mesmo kdo ja se devia ter crescido, e akele sabor a menino sabe tao bem...a k ser tudo e tudo esperar para crecer todos os dias e alguns dias ficar asssim mesmo meninos...
bjoka

Infame da Vileza disse...

Que bom encontrar escrito o que me vai no pensamento todas as noites ao obrigar-me a ir dormir porque vem mais um dia em que tenho que recomeçar a ser "grande"!
Que entres nesta nova semana com muito gozo nessa dualidade!
Bjs

La rubia disse...

Não sei qual é o truque, mas deve haver um, para q ñ nos sintamos 'grandes' sempre... eu na minha imaturidade deixo-me ir em atitudes 'reprováveis' à condição de adulto, mas há dias assim...
Qto à loucura, ñ aconselho...

Bjis