domingo, abril 06, 2008

Devaneios linguísticos


(Soizick Meister, Book Garden)

Por que é que há pessoas que passam o tempo a "desfolhar" livros e revistas, quando deviam apenas "folheá-los"?

Por que é que outras insistem em "ir de encontro" às ideias dos outros, quando, na verdade, têm a intenção de "ir ao encontro"?


As coisas que podem ocorrer-nos enquanto apenas arrumamos livros...

P.S. - Por que é que a minha vizinha do lado teima em sacudir os tapetes, "pulverizando" de lixo a varanda de baixo e a minha roupa acabadinha de estender?!

4 comentários:

Anónimo disse...

... talvez procurem uma maçaroca, no Verão vizinho, e por terem o livro à mão, façam logo tudo de uma assentada, não?
Ir de encontro é mais importante, existe mais choque, mais ambulâncias, mais lágrimas , mais fala , mais veneno... Ir ao encontro é mais demorado, encontra-se menos gente , o relógio conta tudo.... enfim parvoíces minhas , mas gosto deste jogo , agora o que a sua vizinha faz , é pura javardice....
cordialmente
JRM josé ribeiro marto

Anónimo disse...

... por razões que me são completamente indiferentes, não escrevo naquele blogue , o profanus, mas quem me leu merece-me uma resposta.... se quiser continuar a fazê-lo, vá ao Palácio das Varandas e consulte os poemas transversais lá me encontrará.... Merece-me este reparo e desculpe ....
cordialmente
josé r marto

Gala disse...

eheheh
podias ser minha vizinha de baixo que nunca te faria isso. Não tenho tapetes em casa :p
beijinhos

La rubia disse...

Qt aos tapetes é coisa q faço com regularidade e qt à varanda de baixo melhor ainda (ñ tenho nem uns nem outra) só t sei ensinar truques para lençõis q nos vêm 'lamber' a cara e ñ são coisas de 'adultos'...eh
Em relação à Linguística a minha preferida é o 'destrocar' a nota... :D