quinta-feira, janeiro 31, 2008

peças de dominó

(Imagem da net)

Não acredito no destino. Recuso-me a aceitar que as nossas vidas possam estar pré-determinadas. Se assim fosse, de que valeria errarmos e aprendermos com os erros? De que serviriam os esforços que empreendemos para concretizarmos os nossos sonhos?
Aceito os acasos e as coincidências - felizes ou infelizes. Acredito que os mais pequenos gestos ou as decisões mais inócuas podem, como peças de dominó que se precipitam umas sobre as outras, virar as nossas vidas do avesso, para o bem e para o mal.
Não posso saber se outras opções me teriam conduzido a uma vida mais feliz ou mais realizada, mas sei que aquilo que sou, as experiências que tenho vivido e as pessoas com quem me tenho cruzado vieram ao meu encontro muito antes de acontecerem - no momento em que tomei uma decisão que, de tão aparentemente insignificante, já não mora na minha memória.

6 comentários:

Anónimo disse...

Bom dia linda!

deep disse...

E quem é o(a) anónimo(a) simpático(a)?

Bom dia também para ti!

Anónimo disse...

asaa. E desculpa nao ter aparecido a i.d antes mas ainda me to a habituar ao tlm

deep disse...

Olá, menino! Imaginei que fosses tu - pelo "linda" -, mas como não tinha a certeza...

Há tanto tempo!...

deep disse...

Curiosamente, quando escrevi este texto, lembrei-me de uma história que me contaste há muitos anos, que se passou contigo, que ilustra esta ideia de que as acções se encadeiam.

:)

Anónimo disse...

E o post da casa é de uma actualidade pungente! Escreveste por mim, quase com as minhas palavras e sentimentos.