segunda-feira, janeiro 14, 2008

Dá-me

De uma página aberta (quase) ao acaso do Poemário Assírio e Alvim 2008: Dá-me algo mais que o silêncio ou doçura Algo que tenhas e não saibas Não quero dádivas raras Dá-me uma pedra. Não fiques imóvel fitando-me como se quisesses dizer que há muitas coisas mudas ocultas no que se diz Dá-me algo lento e fino como uma faca nas costas E se nada tens para dar-me dá-me tudo o que te falta! in Doze Nós Numa Corda (poemas mudados para português por Herberto Helder)

7 comentários:

PoesiaMGD disse...

Deixo um convite:

http://www.escritartes.com/forum/index.php?referredby=3

Carla disse...

A falta dá asas, impele... no dar o que nos falta o vazio torna-se menor. Beijo

ana maria disse...

Belíssimo!

alexandrecastro disse...

um belíssimo "texto"...!
e é a pensar nestas linhas que hoje também farei "voos de ausência"!
beijinho

Kokas disse...

"Dá-me tudo o que te falta" é uma ideia genial!

Aquele beijinho

wandolas disse...

Às vezes dar nem que seja a mais banal das dádivas produz efeitos bem melhores, do que quando se dão grandes ofertas...
Bjinhos.

Nilson Barcelli disse...

Interessante poema e nada fácil de interpretar...

Bfs, beijinhos.