sábado, julho 01, 2006

sintonia

Há dias em sentimos necessidade de que a música que ouvimos se harmonize com as emoções e os estados de espírito que nos assaltam e, muitas vezes, nos consomem.
Neste assunto, sou um pouco como o Almodóvar: largo uma série de vezes a tarefa que tiver entre mãos e vou trocando de CD, até encontrar "aquela" música. Hoje acabei por sintonizar-me com Rodrigo Leão - que não ouvia há muito tempo -, destacando o tema "Rosa".

Hoje o céu está mais azul. Eu sinto Fecho os olhos, mesmo assim Eu sinto O meu corpo estremecer Não consigo adormecer Ah, nem o tempo vai chegar P'ra dizer o quanto eu sinto Você longe de mim É uma espécie de dor Hoje o céu está mais azul Eu sinto Olho à volta mesmo assim Eu sinto Que este amor vai acabar E a saudade vai voltar Ah, nem o tempo vai chegar P'ra dizer o quanto eu sinto Você longe de mim É uma espécie de dor Já não sei o que esperar Dessa vida fugidia Não sei como explicar Mas é mesmo assim o amor (Tema interpretado por Rosa Passos, do álbum Cinema de Rodrigo Leão)

Desta forma, desejo a todos um óptimo fim-de-semana.

11 comentários:

TsiWari disse...

deep : a música está alojada na tua pasta pessoal do pc.

Só tu a ouves, pq o teu pc tem acesso ao linho indicado.

Nós não temos acesso a ela.

Mas que o teu céu azule ainda mais...*b*f*s*

TsiWari disse...

linho -> link + caminho

rute disse...

Bom fim-de-semana!

Beijinhos

pintoribeiro disse...

hum...eu ouço outra coisa mas percebo-te. bfsemana, fica feliz.

a lice disse...

Continuação de um excelente fim-de-semana também para ti!:)

anatema disse...

Otro buen fin de semana para ti, con música y poesía. Con lo que gustes. Un beso.

Araj disse...

O fim de semana já foi, portanto uma boa semana...

MPR disse...

Bela música... Bom dia!

Barão da Tróia II disse...

Boa semana

Nilson Barcelli disse...

A tua sintonia aconteceu com uma mísica e poema de que gosto.
Acho, por isso, que te sintonizaste bem.
Beijinhos.

Gala disse...

Olá ...uma boa semana e deixo-te 2 historias...

beijinhos *

JULGAMOS A NÓS MESMOS PELO QUE NÓS SOMOS CAPAZES DE FAZER,

ENQUANTO OS OUTROS NOS JULGAM PELO QUE JÁ FIZEMOS..."

1ª História

Certa vez um garoto entrou na sala de emergência de um hospital depois de ter sido atropelado.


O motorista que o socorreu, ao ser interpelado para efetuar o depósito necessário ao atendimento, informou que não possuía, naquele momento, dinheiro ou cheque que pudesse oferecer em garantia, mas certamente, se o hospital aceitasse, poderia efetuar o depósito na primeira oportunidade.


O atendente, na impossibilidade de liberar o atendimento, mas, com a vantagem de ter um dos diretores do hospital, que também era médico, de plantão naquele momento, resolveu consultá-lo.


Todavia, por não ter dinheiro nem garantias para o tratamento, não liberou o atendimento, facto que levou a criança atropelada a falecer.


O diretor, novamente chamado para assinar o atestado de óbito do garoto, ao chegar para o exame cadavérico, descobre que o garoto atropelado era seu filho, que poderia ter sido salvo, se tivesse recebido atendimento.




2ª História

Antonio, um pai de família, um certo dia, quando voltava do trabalho, dirigindo num trânsito bastante pesado, deparou-se com um senhor que dirigia apressadamente.


Vinha cortando todo o mundo e, quando se aproximou do carro de Antonio, deu-lhe uma tremenda fechada, já que precisava atravessar para a outra pista.


Naquela hora, a vontade de Antonio foi de xingá-lo e impedir sua passagem, mas logo pensou:


Coitado! Se ele está tão nervoso e apressado assim... Vai ver que está com um problema sério e precisando chegar logo ao seu destino, pensando assim, foi diminuindo a marcha e deixou-o passar.


Chegando em casa, Antonio recebeu a notícia de que seu filho de três anos havia sofrido um grave acidente e fora levado ao hospital pela sua esposa.

Imediatamente seguiu para lá e, quando chegou, sua esposa veio ao seu encontro e o tranqüilizou dizendo:


- Graças a Deus está tudo bem, pois o médico chegou a tempo para socorrer nosso filho. Ele já está fora de perigo.


Antonio, aliviado, pediu que sua esposa o levasse até o médico para agradecer-lhe. Qual não foi sua surpresa quando percebeu que o médico era aquele senhor apressado para o qual ele havia dado passagem!



DUAS HISTÓRIAS, DOIS DESTINOS

"Esteja sempre alerta para ajudar o próximo, independentemente de sua aparência ou condição financeira".


"Procure ver as pessoas além das aparências".


"Imagine que por trás de uma atitude, mesmo que seja errada, existe uma história, ou um motivo que leva a pessoa a agir de determinada forma."