domingo, março 12, 2006

verdade ou teimosia?

Há alguns anos, tinha a ilusão que fazendo uso de argumentos "lógicos, claros, óbvios"... seria fácil convencer alguém a mudar atitudes que, na altura, me pareciam irracionais e desrespeitadoras.
Hoje continuo a ter como irracionais e desrespeitadoras atitudes e ideias de outros. Compreendi, contudo, que, tal como eu, eles estão convencidos das suas "verdades" e que, nem que seja por orgulho, não abdicam delas. Percebi, inclusive, que mostrar-lhes que estão errados só lhes aguça o orgulho e lhes cimenta a teimosia, criando barreiras à comunicação.
Ingénua (ou inexperiente), acreditava igualmente que, à medida que envelheciam, as pessoas se tornavam mais maduras, serenas e tolerantes. Tenho vindo a perceber que isso é a excepção não a regra e, sinceramente, começo a pensar que nunca deverei dizer "desta água não beberei"...

7 comentários:

Miguel disse...

Então, se é excepção, é nesta que te enquadras. Ou não mostrará este post que és agora mais madura, serena e tolerante?

Quanto a beber água (essa ou outra) o tema não me apaixona. ;-)

Nilson Barcelli disse...

Estás céptica?
Também eu. As pessoas não mudam mesmo. E, o que é ainda mais grave, o país também não.
As pessoas envelhecem mais tarde e, por isso, talvez fiquem maduras, serenas e tolerantes também mais tarde...
Beijinhos e boa semana.

MPR disse...

Enquanto as tuas palavras parecem obvias à primeira vista são uma verdade dificil de interiorizar...

gala disse...

Tou muito zangada ,o Miguel e o Nilson já disseram o ke eu keria dizer duplo:P :) agora a sério : eu não mudo, vou continuar a visitar-te sempre, apesar de "sempre" ser muito tempo.tenho muito orgulho em conhecer-te assim com toda a tua maturidade:) és a prova viva que a net e esta coisa de blogs pode trazer muito valor acrescentado. Obrigada pelo email. beijinhos

pinky disse...

tens razão nunca se deve dizer nunca sem reserva, a vida dá voltas que é deixar qualquer um de boca aberta!

Paulo J. Ribeiro disse...

Aceitar as ideias dos outros não é prescindir das nossas verdades, é sinónimo de tolerância. E isso só significa uma coisa, estamos mais velhos.

deep disse...

Miguel, quem dera poder dizer e ter a noção de pertencer, daqui a uns anos, à excepção...

Nilson, é verdade: estou céptica e olha que estou em situação de dizer que as gerações posteriores não farão este mundo melhor, apesar de todas as campanhas de civismo que se levam a cabo...

Mpr, portanto, estás na equipa adversária... :D Joking...

Gala, com elogios desses, fico sem jeito... sou uma rapariga envergonhada, ou não se nota?
Afinal, não fiz nada de mais...

Pinky, é bem verdade: às vezes temos que dar a mão à palmatória e reconhecer que só passando pelas coisas podemos avaliá-las com alguma objectividade.

Paulo, antes de mais, sê benvindo a este cantinho plantado na blogosfera. Eu diria que ter a capacidade de aceitar as "verdades" dos outros é um sinal de experiência e de maturidade não de envelhecimento...