quarta-feira, fevereiro 01, 2006

sem tempo

Estou sem inspiração e sem tempo para postar algo que me pareça um pouco mais consistente.
Deixo-vos com Somerset Maugham (A Lua e Cinco Tostões), cuja leitura, devagar, devagarinho, está em curso.
"(...) era um homem bom, honesto, simples e enfadonho, de quem se admiram as excelentes qualidades, mas se evita a companhia.Uma nulidade. Era provavelmente um honrado cidadão, um bom marido e bom pai, um honesto corretor, mas não havia qualquer razão para se perder tempo com ele."
Crueldade... digo eu! "Só um poeta ou santo são capazes de regar o asfalto confiantes de que os lírios virão recompensar o seu labor." Acerca da mesma personagem:
"Era muito estranho que o instinto criador se tivesse apossado deste pacato corretor (...). A conversão pode chegar de muitas formas e consumar-se de muitas maneiras. Com alguns homens é preciso um cataclismo, como rovha fragmentada em mil pedaços pela força da corrente; com outros, porém, vai chegando aos poucos, como rocha desgastada por incessante gota de água. Strickland possuía a determinação de um fanático e a ferocidade de um apóstolo."

1 comentário:

Carriço disse...

Cá está uma leitura que já me diz qualquer coisa. No final, que tal um veredito? ;)

Saudações