sábado, novembro 05, 2005

o direito à indignação

Pronto! Já estou indisposta... e não é por nada que tenha comido, antes por aquilo que me custa a engolir! Acabei de ouvir na rádio que o nosso primeiro ministro (e leva com minúsculas!) teve a insensibilidade (mais uma!) de considerar "demagógica" a proposta da CGTP, que supõe que o ordenado mínimo passe a ser de 500 euros. O sr. primeiro ministro e os seus ministros (e afins) deviam viver um mês com essa quantia ( ou com muito menos, se nos lembrarmos de quanto é actualmente o salário mínimo nacional), sem poderem mexer noutras contas e sem as preciosas ajudas de custo, e talvez percebessem (??!!) o que é viver sem ter sequer dinheiro para o essencial e para aquilo a que todos deviam ter direito.
Dixit!

Sem comentários: